Bem-vindo(a) à Linha Podológica. Aqui poderá expor as suas questões e obter informações úteis sobre Podologia, a ciência da área da saúde humana responsável pela investigação, prevenção, diagnóstico e tratamento dos problemas de saúde do pé e das suas repercussões no corpo humano.

Espero que este blog lhe seja útil!
Este blog foi feito a pensar na saúde e bem-estar dos seus pés. Espero que lhe seja útil! Compostos por 26 ossos, 33 articulações, 20 músculos e mais de 100 ligamentos, os pés são o alicerce de todo o corpo, e é deles que depende o equilíbrio do aparelho locomotor. A saúde e o bem estar dos nossos pés deve ser mais do que uma simples preocupação estética e requer os cuidados especializados de um Podologista.

Pesquisar

 

Artigos

Tags

todas as tags

Domingo, 4 de Novembro de 2018

Podologia/Podologistas/Podiatras. - Educação para a saúde - Cuidados a ter com os pés no tempo outono, Inverno e primavera

Desde sempre na minha consulta me deparo com as alterações dermatológicas nos pés dos pacientes.
É um facto adquirido que as dermatomicoses ou dermatofitias plantares, provocadas por fungos dermatófitos, são das patologias mais frequentes que nos chegam à consulta de podologia.
Diariamente e cada vez mais, os pacientes recorrem ao Podologista/Podiatra com queixas de comichão nos pés (prurido), bolhas (vesículas), gretas interdigitais (as mais frequentes), maceração, descamação (que no caso das dermatofitias tem uma apresentação característica), entre outras.
Após a anamnese e o contexto clínico adequados, procede-se ao diagnóstico e respetivo tratamento, que pode ser tópico ou sistémico.
Neste contexto o paciente estará clinicamente bem aconselhado e procederá ao respetivo tratamento.
Contudo é prática corrente na consulta de podologia a intervenção do Podologista/Podiatra ser mais completa e neste sentido o aconselhamento dos cuidados a ter, ou as mudanças a realizar nos seus hábitos do cotidiano são de extrema importância para que a patologia possa ser erradicada.
A Educação para a saúde faz parte do âmbito e do contexto clínico da consulta de podologia, nomeadamente para a contribuição da prevenção e tratamento do pé, após o diagnóstico e tratamento recomendado.
Neste contexto e uma vez que em Portugal já é outono, deixo alguns conselhos para prevenir alterações nefastas aos seus pés e manter a saúde e bem estar dos mesmos.

Educação para a Saúde, cuidados a ter com os pés no inverno:

-Secar bem os pés e espaços entre os dedos, desta forma evitamos que passe humidade desnecessária para o calçado,
-Usar meias de fibras naturais como o algodão, a lã,
-Alternar diariamente o calçado, para que areje e seque do uso a que foi submetido.
Nota: se só usa um modelo de sapato, o melhor será alternar o modelo de sapato para que o pé não se molde e deforme à configuração do mesmo.
Mas se por exemplo só usa ténis poderá ter mais do que um par de ténis para que possa alternar e arejar o calçado e assim manter a higiene dos mesmos. O mesmo se aplica ao calçado em geral, deve trocar de calçado diariamente.
- Um conselho que dou aos meus pacientes é tirarem os sapatos e trocarem de meias assim que chegam a casa, este hábito é muito importante, pois após nos descalçarmos as meias estão húmidas e se não as trocarmos irão secar em contacto com a pele dos pés, o que faz com que a humidade passe para os pés, promovendo o meio ambiente favorável ao desenvolvimento dos fungos.
Para quem sofre de excesso de transpiração (hiperhidrose), costumo aconselhar a trocarem de meias a meio do dia, é um hábito simples, que faz toda a diferença.
Com estes hábitos, também evitamos o mau cheiro (bromohidrose) muitas vezes provocado pelo excesso de transpiração (hiperhidrose, que favorece o desenvolvimento de microorganismos capazes de provocar este tipo de reação.
Costumo dizer é melhor para a saúde do pé secar muito bem os pés e mantê-los secos e arejados, do que lavar excessivamente.
É bem agradável perceber que até as crianças se habituam bem e gostam destes hábitos. Partilho uma curiosidade lá de casa, quando chegamos a casa, os meus filhos pequenos, são muitas vezes os primeiros a dizer: ‘mamã é para tirar os sapatos e as meias.’ ;)


Joana Azevedo Podologista/Podiatra

Membro da Associação Portuguesa de Podologia
AECP e AEMIS

Responsável pela Linha Podologia Canal sapo saúde

Membro fundador do Núcleo de Podologia da ESSVA
Voluntária e co-organizadora do Podofatima, assistência ao peregrino
Licenciada pela CESPU
Estágio Hospitalar no Hospital Nossa Senhora de Oliveira - Guimarães
Especialização em Cirurgia de Antepé NYCPM New York College of Podiatric Medicine
Cirurgia Maior de Pé e Tornozelo Universidade Católica S. Vicente Martir
Responsável pela consulta de Podologia na Clinica Parque do Estoril-Grupo Cordeiro Saúde


Mãe e cuidadora!!!


publicado por Dra. Joana Azevedo às 16:24

link do post | comentar | favorito

Podologia/Podologistas/Podiatras

Infeções da pele - celulite – diagnóstico/diagnóstico diferencial/tratamento

 

O corpo humano está protegido externamente pela pele e este órgão tem sido objeto de estudo constante. As suas principais funções são específicas de acordo com cada região do corpo; e as estruturas que a compõem variam de acordo com a zona anatómica.

É um tecido altamente dinâmico com capacidade de resposta. A função primordial é a proteção do organismo, impedindo a fuga de fluidos plasmáticos e a penetração de elementos ambientais perigosos. Este papel protetor está assegurado pela camada mais externa da pele a epiderme constituída por um epitélio estratificado pavimentoso queratinizado. A célula principal é o queratinócito, que produz a queratina, sendo esta proteína resistente e impermeável responsável pela proteção. A derme é constituída por tecido conjuntivo que sustenta a epiderme.

A um nível mais profundo encontra-se a hipoderme constituída por adipócitos separados por delicados septos de colagénio com estruturas nervosas, vasculares e linfáticas.

Fenómenos simples como a transpiração e piloereção por exemplo estão relacionados com a regulação térmica de forma central. A pele e as mucosas estabelecem limite até mesmo entre o que é permitido ou não interagir com o organismo. Quando detetam agentes agressores, são responsáveis por desencadear inúmeros fenómenos biológicos envolvidos com a ativação do sistema imune, libertação de mediadores químicos, mudanças estruturais do tecido e diversas interações celulares e moleculares e juntas estas interações apresentam danos expressivos. Se o dano é persistente, ocorre o comprometimento do tecido, especialmente da camada córnea. A infeção cutânea surge frequentemente na sequência da rutura da integridade da epiderme e instala-se com a invasão da derme e do tecido celular sub-cutâneo pelo agente patogénico e os mecanismos inflamatórios são solicitados como resposta à invasão.

Assim as infeções dos tecidos moles são caracterizadas por inflamação aguda, difusa, edematosa, supurativa e disseminada e estão frequentemente associados sintomas sistémicos como mal-estar, febre e arrepios. Quando o atingimento é mais profundo pode resultar em necrose dos tecidos requerendo o desbridamento cirúrgico extensivo.

A inflamação decorre da resposta geral e inespecífica do tecido vascularizado à agressão externa, no caso de contacto da pele com agentes patogénicos que desencadeiam uma infeção dos tecidos moles; uma das condições patológicas desencadeada pode ser denominada de celulite se atingir a derme profunda e o tecido subcutâneo e nem sempre é clara a distinção entre tecido infetado e não infetado.

S.aureus e estreptococos do grupo A são os agentes etiológicos mais comuns da celulite, mas ocasionalmente bactérias como Haemophilus influenzae, bacilos Gram-negativos e ainda fungos como Cryptococcus neoformans podem estar implicados na celulite. As portas de entrada dos agentes patogénicos estão favorecidas na presença de fissuras interdigitais da tinha dos pés, cortes na pele, picadas de inseto, insuficiência venosa crónica, síndrome nefrótica, úlceras no membro inferior, úlceras de pressão, linfaedema associado à drenagem linfática anormal, diabetes, obesidade, doença hepática, excesso de álcool, feridas cirúrgicas, queimaduras, uso de drogas por via endovenosa e há casos em que a porta de entrada não é aparente e não são evidentes os focos locais ou distantes da infeção. Por outro lado os agentes patogénicos transportados pelo sangue que causam celulite são: Streptococcus pneumoniae, Vibrio vulnificus e Criptococcus neoformans.

Com a instalação da infeção, os pacientes têm maior risco de propagação linfática e hematogénea, a evolução pode decorrer de forma muito rápida e as alterações como edema, eritema, aumento da temperatura local e dor, associados a vários graus de sintomas sistémicos resultantes exatamente da disseminação da infeção.

O diagnóstico diferencial auxilia na exclusão: Dermatite atópica, urticária, erisipela, reação inflamatória a picadas de insetos e tromboflebite superficial.

O tratamento é aplicado de acordo com o grau de celulite presente, sendo as medidas locais o repouso, imobilização e elevação da área para reduzir o edema e é fundamental o tratamento concomitante das “portas de entrada”, habitualmente tinha interdigital ou pequenas soluções de continuidade nos pés. Se a infeção é ligeira a moderada é utilizada antibioterapia oral. Na infeção grave é utilizada antibioterapia endovenosa.

 

Texto retirado da apresentação da Dr.ª Fátima Carvalho do centro clinico do pé no XIII Congresso Nacional de Podologia, Porto Portugal 25 e 26 de Maio 2018.


publicado por Dra. Joana Azevedo às 15:23

link do post | comentar | favorito

Podologia/Podologistas/Podiatras - Nutrição Vs Pés

COMO A NUTRIÇÃO AFETA OS SEUS PÉS

 

Sabia que a sua alimentação interfere com a saúde dos seus pés?

Quando se fala em nutrição e na sua saúde, a maioria das pessoas só associa o que come à perda de peso no entanto e segundo Sherri Greene, DPM (Podologista em Nova Yorque), alguns alimentos que contém muito açúcar, grãos refinados, gorduras trans e muitos produtos assados e junk foods, a gordura saturada na carne vermelha e as gorduras ómega 6 presentes em muitos óleos vegetais; como o milho soja e óleos de girassol favorecem o aparecimento de inflamação do tecido e esta inflamação pode afetar a saúde dos seus pés nomeadamente favorecer o aparecimento de fasceite plantar, provocando dor na parte inferior do pé, no calcanhar ou no ante- pé.

Por outro lado existem cada vez mais indivíduos com alergias ao trigo o que por si só já provoca inflamação do tecido e ao comerem alimentos que favoreçam a subida de açúcar no sangue vão aumentar a inflamação. Assim seguir uma dieta saudável pode fornecer benefícios anti-inflamatórios para os seus pés e a sua saúde no geral. Isso inclui comer mais vegetais verdes e frescos e cortar alimentos de grãos refinados e doces açucarados.

PÉS E NUTRIÇÃO: OUTRAS CONECÇÕES DE SAUDE

Algumas patologias tais como: doença arterial periférica e a diabetes podem alterar os pés pois as artérias que trazem o sangue para as extremidades inferiores ficam danificadas ao longo do tempo, uma boa alimentação favorece uma boa permeabilidade arterial protegendo assim os pés de possíveis complicações como por exemplo a amputação.

Se você é diabético deve seguir uma dieta saudável, rica em grãos integrais, feijão, legumes e frutas, carnes magras e uma quantidade limitada de gorduras e doces no entanto se não é diabético nem apresenta nenhum problema de saúde deve seguir sempre uma dieta saudável para não padecer de doença inflamatória.

Deve consultar um Podologista (www.centroclinicodope.pt), pelo menos uma vez por ano; uma vez que os pés são a base de apoio, de equilíbrio e de funcionamento do corpo humano. No entanto, as estatísticas indicam que 80% da população adulta sofre de algum tipo de problema podológico ou podiátrico. As doenças dos pés não afetam só os pés, mas todo o individuo, designadamente a sua qualidade de vida e a sua capacidade de trabalho.

Nunca se esqueça: Os seus pés estão ligados ao resto do corpo.

Fonte: Artigo cedido pela ilustre colega Dra Fatima Lopes Carvalho, responsável pelo Centro Clinico do Pé.


publicado por Dra. Joana Azevedo às 15:00

link do post | comentar | favorito

Dra. Joana Azevedo
Podologista
Licenciada pela Escola Superior de Saúde do Vale do Ave. Especialização no New York College of Podiatric Medicine (NYCPM). Exerce actividade clínica desde 2003 com cédula profissional nº 128 da Associação Portuguesa de Podologia. Membro fundador do Núcleo de Podologia da ESSVA. Podologista do canal Sapo Saúde desde 2005. Actualmente tem consultórios no Estoril.

logo new york college of podiatric medicine-1
Consultórios:

Clínica Parque do Estoril - Grupo Cordeiro Saúde
Tel. 219236381
Av. Aida, 153 Lj - 2765-187 Estoril
(em frente ao jardim do casino, a 50m da estação da CP do Estoril)



Novembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


Vídeos

Ligações

blogs SAPO

subscrever feeds