Bem-vindo(a) à Linha Podológica. Aqui poderá expor as suas questões e obter informações úteis sobre Podologia, a ciência da área da saúde humana responsável pela investigação, prevenção, diagnóstico e tratamento dos problemas de saúde do pé e das suas repercussões no corpo humano.

Espero que este blog lhe seja útil!


Envie a sua questão

Este blog foi feito a pensar na saúde e bem-estar dos seus pés. Espero que lhe seja útil! Compostos por 26 ossos, 33 articulações, 20 músculos e mais de 100 ligamentos, os pés são o alicerce de todo o corpo, e é deles que depende o equilíbrio do aparelho locomotor. A saúde e o bem estar dos nossos pés deve ser mais do que uma simples preocupação estética e requer os cuidados especializados de um Podologista.
pesquisar neste blog
 
Artigos
Temas

2014

adução

alterações biomecânicas

amputações

anteversão femural

app

áreas de intervenção da podologia

associação portuguesa de podologia

barça

barcelona

bebés

bem estar

biomecânica

bolhas

bromohidrose

calçado

calçado adequado

calçado ideal

calçado inadequado

calçado infantil

calçado para criança

calos

calosidades

coma diabético

comichão

como escolher o calçado

competências profissionais

congresso

cuidados com o pé diabético

curiosidades

dermatofitia

dermatomicose

diabetes

diabetes mellitus

diabético

dieta do diabético

doctor of podiatrist medicine

dor nos pés

dor pés

dpm

excesso de transpiração

fasceíte plantar

fotografias

fotos

fotos de pés

fungos

glicose

gretas

helomas

hierhidrose

higiene

higiene do pé diabético

hiperhidrose

hipoglicémia

insuficiência de tecido adiposo

insulina

joanetes

mau cheiro

micose

micose nas unhas

micoses

micoses nas unhas/onicomicoses/fungos

neuroma de morton

onicomicose

onicomicoses

ortóteses

ortóteses plantares

palmilhas

papiloma vírus

papiloma virus

pé boto

pé cavo

pé chato

pé de atleta

pé diabético

pé plano

pele seca

pés

podiatra

podiatras

podiatria

podiatrist

podologia

podologia em portugal

podologista

podologistas

podólogo

podólogos

podologos

prurido

regulamentação da profissão

saltos altos

sapatos

sevilha

unha encravada

unhas

unhas encravadas

verruga

verrugas

todas as tags


Sexta-feira, 29 de Dezembro de 2017
Podologia, podologistas. Educação para a Saúde - Cuidados a ter com os pés no Inverno

Desde sempre na minha consulta me deparo com as alterações dermatológicas nos pés dos pacientes. É um facto adquirido que as dermatomicoses ou dermatofitias plantares, provocadas por fungos dermatofitos, são das patologias mais frequentes que nos chegam à consulta de podologia. Diariamente e cada vez mais, os pacientes recorrem ao Podologista/Podiatra com queixas de comichão nos pés (prurido), bolhas (vesículas), gretas interdigitais (as mais frequentes), maceração, descamação (que no caso das dermatofitias tem uma apresentação característica), entre outras. Após a anamnese e o contexto clínico adequados, procede-se ao diagnóstico e respetivo tratamento, que pode ser tópico ou sistémico. Neste contexto o paciente estará clinicamente bem aconselhado e procederá ao respetivo tratamento. Contudo é prática corrente na consulta de podologia a intervenção do Podologista/Podiatra ser mais completa e neste sentido o aconselhamento dos cuidados a ter, ou as mudanças a realizar nos seus hábitos do cotidiano são de extrema importância para que a patologia possa ser erradicada. A Educação para a saúde faz parte do âmbito e do contexto clínico da consulta de podologia, nomeadamente para a contribuição da prevenção e tratamento do pé, após o diagnóstico e tratamento recomendado. Neste contexto e uma vez que em Portugal já estamos no inverno, deixo alguns conselhos para prevenir alterações nefastas aos seus pés e manter a saúde e bem estar dos mesmos. Educação para a Saúde, cuidados a ter com os pés no inverno: -Secar bem os pés e espaços entre os dedos, desta forma evitamos que passe humidade desnecessária para o calçado, Usar meias de fibras naturais como o algodão, a lã, - Alternar diariamente o calçado, para que areje e seque do uso a que foi submetido. Nota: se só usa um modelo de sapato, o melhor será alternar o modelo de sapato para que o pé não se deforme à configuração do mesmo. Mas se por exemplo só usa ténis poderá ter mais do que um par de ténis para que possa alternar e arejar o calçado e assim manter a higiene dos mesmos. - Um conselho que dou aos meus pacientes é tirarem os sapatos e trocarem de meias assim que chegam a casa, este hábito é muito importante, pois após nos descalçarmos as meias estão húmidas e se não as trocarmos irão secar em contacto com a pele dos pés, o que faz com que a humidade passe para os pés, promovendo o meio ambiente favorável ao desenvolvimento dos fungos. Para quem sofre de excesso de transpiração (hiperhidrose), costumo aconselhar a trocarem de meias a meio do dia, é um hábito simples, que faz toda a diferença. Com estes hábitos, também evitamos o mau cheiro (bromohidrose) muitas vezes provocado pelo excesso de transpiração, que favorece o desenvolvimento de microorganismos capazes de provocar este tipo de reação. Costumo dizer é melhor para a saúde do pé secar muito bem os pés e mantê-lo-á secos e arejados, do que lavar excessivamente. É bem agradável perceber que até as crianças se habituam bem e gostam destes hábitos. Partilho uma curiosidade lá de casa, quando chegamos a casa, os meus filhos pequenos, são muitas vezes os primeiros a dizer: ‘mamã é para tirar os sapatos e as meias.’ ;) Joana Azevedo Podologista Especialização em Cirurgia de Antepé NYCPM New york College of Podiatric Medicine Instituto Ciência e Saúde de Cascais‭|Tel:916216292‬ Clínica Parque do Estoril|Tel: 219238381 Clínica Navegantes Oeiras|Tel: 214412533 Responsável pela Linha Podologia Canal Sapo Saúde podologia.sapo.pt



publicado por Dra. Joana Azevedo às 11:59
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 10 de Fevereiro de 2014
Podologia, Podologistas, Micoses

Alterações da Pele/Prevenção, Diagnóstico e Tratamento das alterações da pele dos pés

 

A pele é o maior órgão do corpo humano, reveste-o externa (epiderme e derme) e internamente (mucosas), é resistente, flexível e relativamente impermeável, dotada de uma grande capacidade de auto-reparação.

Das suas funções destaca-se a aparência (forma e relação com o exterior) e a protecção (defesa).

Existem muitas lesões e alterações que podem afectar a pele, podemos destacar algumas, tais como:

     Manchas ou máculas

     Pápulas, nódulos, tumores

     Vesículas, bolhas, pústulas

     Nevos ou sinais

     Escamas, crostas, escoriações, gretas, ulceração, cicatriz

     Necrose, gangrena

     Verrugas

     Espessamentos (calosidades)

     Pele seca

     Micoses

     Excessos de transpiração

     Mau cheiro

     ...

 

A manutenção da higiene da pele é extremamente importante para a manutenção da sua integridade.

A higiene diária e a escolha de roupa e calçado adequados são fundamentais para a saúde da pele.

Observar diariamente os seus pés e algumas alterações da pele como sinais ou manchas é um hábito essencial para prevenir o aparecimento de lesões complicadas.

Os cuidados diários permanentes e a visita regular ao seu Dermatologista, contribuem para a saúde e integridade da sua pele.

 

  

Micoses

 

As micoses são uma das alterações mais frequentes da pele, podem aparecer na pele e nas unhas e podem ter diferentes formas, aspectos ou sintomas.

Os fungos são os seres causadores das micoses e são os responsáveis pelos maus cheiros, comichões e outros sinais e sintomas característicos das micoses.

Existem mais de 100.000 espécies de fungos, destas cerca de 150 trazem malefícios para o Homem e animais.

Mas nem tudo é prejudicial no mundo dos fungos, na realidade são muito úteis em numerosos processos de fabricação de pão, cervejas, vinhos e determinados tipos de queijo.

Também são usados na produção de medicamentos (antibióticos e imunosupressores) e são responsáveis pela decomposição de matéria orgânica.

Das muitas formas de fungos destacam-se os dermatófitos e as leveduras, por serem dos que mais frequentemente causam malefícios para o Homem.

Os dermatófitos são responsáveis por micoses como o pé-de-atleta e tinhas (dermatofitias). As leveduras são a causa de candidiase.

Tratam-se de micoses superficiais, sendo que as primeiras (pé-de-atleta e tinhas) raramente invadem camadas mais profundas do corpo. A candidiase pode invadir camadas profundas do corpo e em casos cronicidade arrastada pode ser bastante grave.

É importante perceber que alguns dos fungos que aqui se falam vivem na superfície da nossa pele e habitualmente não provocam doenças em indivíduos física e psicologicamente saudáveis. Tornam-se oportunistas e causam doença quando o indivíduo se encontra imunodeprimido ou doente e portanto mais vulnerável.

  

 

Então qual é a melhor forma de prevenir as micoses nos pés?

 

Se tivermos em conta o que foi dito anteriormente é fácil perceber que um corpo e mente saudáveis são os principais segredos para que tudo esteja bem com o nosso corpo e consequentemente com os nossos pés.

 

Contudo existem hábitos que devem fazer parte do nosso dia a dia para prevenir o aparecimento das micoses:

 

     Lave os pés todos os dias, com água e sabão neutro;

     Seque cuidadosamente os pés e os espaços entre os dedos, sem esfregar ou irritar a pele;

     Observe diariamente os pés para detectar precocemente alguma alteração da pele e unhas;

     Use meias com mais de 90% de fibras naturais (como algodão);

     Troque de meias todos os dias (se sofre de hiperhidrose - excesso de transpiração, deve trocar de meias mais do que uma vez por dia para manter o pé seco);

     Alterne o calçado, para que estejam bem secos e arejados quando os calçar novamente;

     Use sapatos confortáveis (amplos e 1 a 2cm maiores do que o pé);
     Se possível use um aparelho de esterilização de calçado, para eliminar eficazmente, fungos, bactérias e vírus; bem como a humidade e o mau cheiro do calçado. Estes aparelhos são extremamente úteis pois evitam que o calçado continue a ser um foco de contágio permanente;

     Não calce meias ou sapatos de outras pessoas, especialmente se sabe que tem micose;

     Nunca ande descalço em piscinas ou balneários públicos (e evite as águas paradas à volta das piscinas e lava pés);

     Se transpira muito dos pés, use um pó, gel, creme, bálsamos, espuma ou spray que controle a transpiração, este poderá ser aconselhado pelo seu podologista, para que seja adequado ao seu caso;

     Não trate as suas próprias calosidades, procure um podologista, para que possa receber o tratamento adequado;

     Aplique diariamente um creme hidratante, tendo cuidado de não humedecer demasiado os espaços entre os dedos (após a aplicação do creme deve retirar o excesso entre os dedos com papel ou toalha seca) ;

     Corte as unhas de forma recta para evitar que encravem;

     Sempre que observar alguma alteração ou sentir dor, mal estar ou comichões nos pés procure um Podologista;

     Pratique exercício físico e não fume, são dois dos principais contributos para uma vida saudável e consequentemente para um corpo e pés saudáveis;

     Consulte um Podologista periodicamente, lembre-se que o melhor tratamento é a prevenção.

 

Resumidamente podemos dizer que bons cuidados de higiene com os pés e hábitos de vida saudáveis são os principais parâmetros para eliminar os factores desencadeantes das micoses.

 

 

Onde se encontram os fungos?

 

Os fungos encontram-se em diferentes locais, como o solo, a água, o ar, as plantas, e os animais.

É frequente existirem fungos capazes de provocarem micoses no Homem na terra de jardins, em locais onde se encontram animais ou nos seus detritos, pavimentos de balneários e piscinas, sapatos e vestuário e na areia das praias (onde sobrevivem até 6 meses).

A luz solar, temperaturas elevadas e a secura têm uma acção esterelizante, nestas condições, dificilmente os fungos se multiplicam.

Em conclusão pode-se afirmar que o solo é o principal reservatório de fungos patogénicos (capazes de causar malefícios para o Homem). Raramente se encontram fungos patogénicos nas plantas.

 

Como se “apanha” uma micose?

 

O habitat natural da maioria dos fungos é o solo e a principal fonte de contágio é o ar, através da inalação dos esporos dos fungos que se encontram em suspensão no ar.

Alguns fungos entram no corpo através de feridas provocadas por plantas com espinhos e por estrume.

As micoses também podem ser transmitidas de Homem a Homem ou por contacto com objectos contaminados.

Os fungos que habitam a superfície da nossa pele e que habitualmente não são causadores de doenças podem em determinadas situações provocar doenças, quando as condições são propícias ao seu desenvolvimento. Estas situações estão muitas vezes relacionadas com alterações do estado de saúde normal do indivíduo.

 

As micoses são contagiosas?

 

Sim. Na realidade as micoses são contagiosas, podendo ser transmitidas de Homem a Homem – transmissão directa – e podem também, ser transmitidas através de objectos e ou meios contaminados.

 

E como tratar uma micose nos pés?

 

Como já foi dito a higiene cuidada, os hábitos de vida saudáveis e o controlo da humidade dos pés são essenciais para a prevenção e tratamento das micoses nos pés.

Contudo, perante uma micose já instalada estes cuidados não são suficientes. É necessário, recorrer à ajuda especializada do seu Podologista, para que lhe indique qual a terapêutica e cuidados necessários.

É preciso ter em conta que cada caso é um caso e só um especialista pode indicar o que é melhor para o seu tratamento.

 

Ficam apenas alguns conselhos básicos, que fazem parte de um plano de tratamento de dermatómicose do pé:

 

     Utilize sempre uma toalha somente para os pés;

     Seque cuidadosamente os pés especialmente entre os dedos

     Siga correctamente o tratamento indicado pelo seu Podologista;

     Evite frequentar balneários e piscinas (principalmente, na fase aguda, quando existem vesículas e prurido), mas se for o caso utilize sempre chinelos, para evitar ser um foco de contágio para outras pessoas;

     Utilize sempre meias limpas de fibras naturais;

     Mantenha os pés sempre secos e areje sempre o calçado;

     Se a micose se encontra nas unhas - onicomicose - deverá realizar consultas periódicas de Podologia, afim de receber o tratamento adequado de limpeza das unhas, para optimizar o tratamento tópico domiciliário e conseguir tratar mais rapidamente o seu problema.

 Fonte: Joana Azevedo com excertos de Atlas de Dermatologia, Histopatologia da Pele, apontamentos aulas Dermatologia, Micologia, Patologia Clínica e Farmacologia

 



publicado por Dra. Joana Azevedo às 17:00
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Domingo, 2 de Fevereiro de 2014
Podologia, Podologistas. Hiperhidrose / Excesso de transpiração - Bromohidrose / Mau cheiro

Relembro uma questão pertinente que me colocou uma utilizadora da linha podológica, há uns anos atráz, que completo com informação atualizada aos dias de hoje! 

 

Pergunta: Com o tempo quente sinto os pés muito cansados, o que devo fazer para me sintir mais confortavel? Também suo muito dos pés?

 Resposta:

O calor e transpiração podem ser combatidos através do uso de sapatos amplos, confortáveis e de materiais naturais como o couro, por exemplo.

É muito importante que alterne diariamente de calçado, para que este areje e seque impedindo a instalação de microorganismos patogénicos, nomeadamente fungos.

Não é necessário ter muitos pares de sapatos, bastam 2 ou 3 para podermos alternar, mas se tem mais, melhor, pois o sapato areja mais se o usar espaçadamente.

Se usa exclusivamente um modelo (como as pessoas que por vezes têm de recorrer a calçado feito à medida ou calçado ortopédico e acabam por ter apenas um modelo que se adapta melhor às suas necessidades), pode optar por ter 2 pares iguais (ou mais) e pode alternar o calçado, mantendo a higiene e o arejamento do calçado adequados.

 

No final do banho deve ter o cuidado de secar muito bem os pés e os espaços entre os dedos, para evitar que a humidade que fica no pé se instale no calçado e mantenha o pé o húmido dentro do sapato, o que provoca a possibilidade de se instalarem fungos e uma sensação muito desconfortável.

O uso de meias de fibras naturais (algodão ou lã) é muito importante. Ao contrário do que se possa pensar, permite a manutenção da secura do pé, uma vez que absorve a humidade da transpiração e desta forma mantem o pé seco e confortável, impedindo também a sensação de queimadura dos pés.

 

O recurso a pós e/ou sprays apropriados que se encontram à venda em farmácias (ou que podem ser aconselhados pelo seu podologista, em fórmulas magistrais), são muitas vezes eficazes para controlar este tipo de situações, pois são desodorizantes e refrescantes e actualmente existem alternativas seguras aos antitranspirantes, uma vez que podemos encontrar desodorizantes e refrescantes sem alumínio e outros apenas com componentes naturais, o que os torna seguros para praticamente toda a população.

 

Já existem aparelhos de esterilização de calçado que também permitem manter a higiene e o calçado livres de fungos, bactérias e vírus e mantém o calçado seco e sem cheiros, (mas lembre-se que não substituem os cuidados anteriormente descritos).

 

Se mesmo assim as alterações persistirem aconselho-a a procurar um podologista.

 

Cumprimentos,

Joana Azevedo

Podologista

 

 



publicado por Dra. Joana Azevedo às 21:47
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 22 de Fevereiro de 2013
Hiperhidrose / Excesso de transpiração Bromohidrose / Mau cheiro

Pergunta:

Transpiro muito dos pés. há algo para transpirarem menos?

Resposta:

O excesso de transpiração, denominado de hiperhidrose, pode e deve ser controlado de forma a evitar maus cheiros, alterações da pele como micoses, macerção; gretas, etc.

Existem compostos à base de pós que se encontram à venda nas farmácias que podem ser aplicados no calçado e/ou nos pés de forma a controlarem a transpiração sem, no entanto, taparem os poros.

No caso de estes não resultarem aconselho-a a procurar um podologista que lhe poderá indicar outro tipo de compostos que normalmente não se encontram prontos para venda, requerem manipulação.

O tratamento deve incluir a mudança diária de calçado para permitir o arejamento do mesmo, bem como o uso de meias de fibras naturais como o algodão.

A lavagem dos pés diária e adequada, por vezes ajudada por sabões ou loções adequadas e a secagem cuidada dos pés, sem esquecer os espaços entre os dedos, contribuem para o controlo da transpiração excessiva e manutenção de níveis baixos de humidade nos pés.

cumprimentos,

Joana azevedo

Podologista



publicado por Dra. Joana Azevedo às 21:49
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Sábado, 13 de Dezembro de 2008
Hiperhidrose (excesso de transpiração) / Bromohidrose (mau cheiro)
 Maria João Silva
Valbom - Gondomar 
Já há muito que não uso calçado sintético, pois transpiro excessivamente dos pés. Mesmo que use sandálias/chinelos em pele natural continuo a transpirar imenso.
Já usei sei lá quantas marcas de produtos anti-transpirantes, pós desodorizantes, cremes hidratantes, produtos esfoliantes, pó de talco, etc... e nada resulta. Não sei o que é sentir os pés confortáveis e secos!
O pior é que se aproxima o Inverno e terei que usar sapatos fechados e, nesta altura, ainda terei que ter cuidados mais do que redobrados, pois, às vezes, fico com mau cheiro!!!
No Inverno, deixei de usar "collants" e passei a usar meias de algodão, mas chego a ficar com os pés frios, pois as meias ficam completamente molhadas de suor.
Agradecia a vossa ajuda e conselhos!
 
Cara Maria João,

A hiperhidrose (excesso de transpiração), na maioria das vezes, resulta de uma alteração do sistema nervoso simpático. A este nível pode e deve consultar um neurologista para uma solução definitiva que pode passar por uma pequena cirurgia.

Contudo existem tratamentos tópicos que podem atenuar muito a hiperhidrose e a bromohidrose (mau cheiro).
 
O uso de compostos manipulados recomendados pelo seu podologista ajudam a diminuir de forma significativa a transpiração e evitam os maus odores. Estes compostos são, normalmente ajustados ao tipo de pele e podem estar associados a antifungicos, uma vez que a bromohidrose está muitas vezes relacionada com a presença de fungos na pele.

Cumprimentos,

Joana Azevedo
 


publicado por Dra. Joana Azevedo às 13:19
link do post | comentar | ver comentários (19) | adicionar aos favoritos

Dra. Joana Azevedo
Podologista
Licenciada pela Escola Superior de Saúde do Vale do Ave. Especialização no New York College of Podiatric Medicine (NYCPM). Exerce actividade clínica desde 2003 com cédula profissional nº 128 da Associação Portuguesa de Podologia. Membro fundador do Núcleo de Podologia da ESSVA. Podologista do canal Sapo Saúde desde 2005. Actualmente tem consultórios no Estoril e em Oeiras.

logo new york college of podiatric medicine-1
Consultórios:

Clínica Parque do Estoril - Grupo Cordeiro Saúde
Tel. 219236381
Av. Aida, 153 Lj - 2765-187 Estoril
(em frente ao jardim do casino, a 50m da estação da CP do Estoril)

Clínica Navegantes
Tel. 214412533
Av. Dr. Francisco Sá Carneiro, 14A 2780-240 Oeiras
(junto da biblioteca de Oeiras e dos SMAS - Serviços Municipalizados de Oeiras)

Vídeos
posts recentes

Podologia, podologistas. ...

Podologia, Podologistas, ...

Podologia, Podologistas. ...

Hiperhidrose / Excesso de...

Hiperhidrose (excesso de ...

links
arquivos

Março 2018

Dezembro 2017

Agosto 2017

Março 2017

Novembro 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Setembro 2015

Maio 2015

Abril 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Junho 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Maio 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Março 2010

Janeiro 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Outubro 2008

Maio 2008

Janeiro 2008

Outubro 2007

Setembro 2007

blogs SAPO
subscrever feeds
Imagem de fundo: David Hofmann.