Bem-vindo(a) à Linha Podológica. Aqui poderá expor as suas questões e obter informações úteis sobre Podologia, a ciência da área da saúde humana responsável pela investigação, prevenção, diagnóstico e tratamento dos problemas de saúde do pé e das suas repercussões no corpo humano.

Espero que este blog lhe seja útil!
Este blog foi feito a pensar na saúde e bem-estar dos seus pés. Espero que lhe seja útil! Compostos por 26 ossos, 33 articulações, 20 músculos e mais de 100 ligamentos, os pés são o alicerce de todo o corpo, e é deles que depende o equilíbrio do aparelho locomotor. A saúde e o bem estar dos nossos pés deve ser mais do que uma simples preocupação estética e requer os cuidados especializados de um Podologista.

Pesquisar

 

Artigos

Tags

todas as tags


Sexta-feira, 1 de Junho de 2012

Um terço das crianças portuguesas têm problemas nos pés

Pé plano, pé valgo, hiperhidrose, onicocriptoses e verrugas plantares são os mais frequentes

 

O Instituto Politécnico de Saúde do Norte (IPSN) e o seu departamento de Podologia, revelam num estudo realizado a 1650 crianças, entre os 3 e os 10 anos de idade, que 34 por cento das crianças apresenta doenças nos pés, sendo as mais frequentes o pé plano, pé valgo, hiperhidrose e onicocriptoses e verrugas plantares.

De acordo com o Manuel Azevedo Portela, podologista e professor do IPSN, «os portugueses preocupam-se com a saúde dos seus filhos, no entanto existe ainda uma falta de conhecimento sobre a necessidade de avaliação precoce da saúde dos pés das crianças, assim como desconhecem como eleger o tipo de calçado mais apropriado para assegurar um crescimento seguro».

Apesar de 45 por cento dos encarregados de educação mencionarem ter conhecimento sobre a podologia, apenas 14 por cento refere ter conhecimento da importância de uma consulta de podologia Infantil para rastrear possíveis patologias nos pés dos educandos.

Este estudo revela também que 47 por cento das crianças usa um calçado pouco adequado às necessidades de controlo de estabilidade do pé e do caminhar assim como não respeita as necessidades de respiração do pé. Os resultados deste estudo indicam que a obesidade infantil está associada em, 12 por cento, a algumas patologias dos pés.

Manuel Azevedo Portela, também presidente da Associação Portuguesa de Podologia (APP), salienta que «os portugueses desconhecem que existe uma percentagem considerável de patologias dos pés, que se manifestam em idade adulta, as quais não são valorizadas em idade infantil, podendo ser corrigidas e não se repercutirem em idade adulta».

O especialista acrescenta ainda que «deve-se ter um cuidado especial com os pés das crianças desde muito cedo. A atenção dos educandos ao tipo do caminhar, a escolha do calçado, a atenção ao desgaste e deterioração do calçado, o posicionamento dos joelhos, os hábitos de sentar e deitar, trocar de calçado diariamente, não andar descalço em locais públicos, e examinar regularmente os pés, são alguns cuidados especiais com os pés das crianças, já que o diagnóstico precoce pode evitar complicações tardias como o aparecimento de dificuldade em andar».

 

Fonte: Sapo Família. 30 de Setembro de 2008


publicado por Dra. Joana Azevedo às 11:52

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Terça-feira, 10 de Maio de 2011

Pé Plano / Pé Chato / Alterações Biomecânicas

Pergunta:


Boa tarde A minha tem 8 anos (vai fazer 9 anos em Maio) e tem pé chato. Por volta dos 3 anos detectamos que entortava os pés para dentro, mas não nos disseram que ela tinha pé chato nessa altura. Ela usou botas ortopédicas durante dois anos. Ao fim desse tempo o médico ortopedista disse que o problema estava resolvido. No entanto o ano passado começamos a notar que ela voltou a entortar os pés. Recorremos ao médico de família que a encaminhou para a consulta de ortopedia no Amadora Sintra. descobrimos que tem uma ligeira escoliose, mas o médico desvalorizou a questão dos pés.Receitou-lhe uma palmilha para compensar o desvio da coluna que usa no pé esquerdo. No entanto resolvemos consultar outro médico que nos confirmou o diagnóstico de pé chato, mas que nesta idade já não é possível corrigir. A questão é: é mesmo verdade que aos oito anos já não vamos a tempo de corrigir com palmilhas? As palmilhas terão que ser ajustadas em função de cada criança, ou o modelo standard serve (ela já calça o 36)? Este médico também nos falou da cirurgia e que a ser feita o deve ser até aos 12 anos. O que será melhor? Agradecemos os seus comentários. Estela Tomás

 

Resposta:

 

Cara Estela,

Na verdade a partir dos 7/8 anos já não se obtém uma verdadeira correcção do pé apenas com o uso de ortóteses plantares ('palmilhas').

Apesar de o último núcleo de ossificação terminar a sua consolidação por volta dos 12 anos (o segundo núcleo de ossificação do calcâneo), a ossificação está praticamente estabelecida e consolidada por volta dos 7 anos de idade em quase todos os ossos do pé.

Quanto à questão que coloca sobre se as palmilhas devem ser adequadas em função de cada criança, a resposta é: sim.

Os suportes plantares devem ser feitos mediante a obtenção dos moldes plantares da criança.

Para que se perceba a importância de um molde bem executado é frequente dizermos que o molde adequado garante o sucesso do tratamento.

Para além de permitir eventuais correcções ou compensações necessárias para o tratamento, o molde plantar permite reproduzir os pés do paciente e desta forma garante que os suportes plantares ('palmilhas') sejam 100% adapatados aos pés do paciente.

Quanto à última questão que coloca, se é melhor cirurgia ou suporte plantar.

Penso que até à idade de uma possível cirurgia (por volta dos12 anos de idade) deve recorrer ao tratamento ortopodológico (suportes plantares) executados por um Podologista/Podiatra.

Se a situação se mantiver por volta dos 12/14 anos de idade e implicar alterações biomecânicas significativas para a estática e dinâmica do pé e do membro inferior, pode ser aconselhada a cirurgia.

Contudo, se as alterações biomecânicas se revelarem pouco significativas pode optar por permancer com uso do tratamento ortopodológico (suportes plantares), evitando o recurso a um tratamento mais invasivo como é o caso da cirurgia.

Cumprimentos,

Joana Azevedo
Podologista





publicado por Dra. Joana Azevedo às 22:04

link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

Quarta-feira, 18 de Março de 2009

Pé Plano / Pé Chato / Alterações Biomecânicas

O pé plano conhecido vulgarmente por pé chato é uma alteração da estrutura do pé que leva à diminuição ou ausência da curvatura ou arco longitudinal interno do pé (“barriguinha”).

É uma das patologias que provocam mais alterações no pé devido ao exagerado movimento de queda do pé “para dentro” – pronação excessiva.

Clinicamente a sintomatologia do pé plano pode manifestar-se por: quedas frequentes; deformações ósseas (hallux valgus e joante, entre outras); claudicação (mancar/cochear); cansaço físico; dores lombares; dores na planta do pé, nomeadamente a nível do arco interno (a “Barriguinha”); etc. Contudo exitem várias formas clínicas de pé plano, o que significa que podem originar sinais e sintomas diferentes.

O uso de suportes plantares personalizados (palmilhas) é uma das formas de tratamento corrigindo ou compensando do pé plano.

Os suportes plantares devem ser realizados por um podologista, mediante a prévia realização de um estudo biomecânico estático e dinâmico (avaliação clínica específica para este tipo de alterações) e um molde plantar de cada pé, através do qual se confecciona o suporte plantar personalizado.

        

 

                               

 


publicado por Dra. Joana Azevedo às 11:11

link do post | comentar | ver comentários (115) | favorito

Quarta-feira, 29 de Outubro de 2008

Dor nos Pés/Alterações Biomecânicas/Insuficiência de Tecido Adiposo

Olá Dra. Joana,

Me chamo Greice e tenho 24 anos.

Moro em uma cidade pequena de SC e não existem podologistas por aqui e nem nas cidades vizinhas, somente a mais de 300km, por isso gostaria de lhe fazer algumas perguntas e espero muito que você possa respondê-las.

Não consigo usar sapato de salto. Depois de cerca de 5minutos a planta dos meus pés começam a doer sem parar, quase que fico sem forças para ficar de pé. Então nunca posso usar algo que nos deixa tão femininas, mesmo que às vezes somente.

Outra questão é que a pele do meu pé é muito fina e sensível, por isso tenho que quase sempre usar band-aid (menos com tênis). Tanto nos dedinhos, calcanhar, etc. Outra coisa é que embaixo dos meus pés, na planta (parte do pé que fica abaixo dos dedinhos), a pele é bem mais dura do que nos outros lugares, o que me incomoda um pouco. Será que a pressão que o meu corpo exerce nesse lugar é maior?

 

Desde já lhe agradeço,

 

Greice.


Cara Greice,



Habitualmente, as dores na planta do pé devem-se a problemas biomecânicos que se reflectem numa má distribuição de pressões (forças/cargas que chegam ao pé devido ao peso e locomoção do corpo).

Esta má distribuição de pressões tem como causa, na maioria das vezes, alterações estruturais, como o pé plano ('pé chato') ou o pé cavo, entre outros.

Neste momento parece-me importante que faça uma avaliação biomecânica a fim de detectar a causa destas dores. Deste modo pode ser aconselhada quanto ao tratamento que deve usar, bem como o tipo de calçado mais adequado para o seu problema.

Quanto à descrição que faz da pele muito fina e sensível, parece estar associada a insuficiência de tecido adiposo.  Esta patologia agrava-se com a idade, uma vez que está relacionada com a perda da gordura natural da pele e de algumas estruturas a ela inerentes. Com o passar dos anos é comum que se percam tecidos que servem de almofada natural da pele e o amortecimento do pé fica comprometido, levando a dores e sintomas como os que refere.


A insuficiência de tecido adiposo pode ser minimizada com tratamentos conservadores e paliativos que proporcionam maior conforto e bem estar aos pés.


O uso de suportes plantares (palmilhas ou ortóteses), executadas por um podologista, mediante a obtenção de um molde dos seus pés é, normalmente, o tratamento indicado para este tipo de problemas.

No que diz respeito à calosidade ou pele mais dura por baixo dos dedos (zona subfalângica ou zona metatarsal), está também relacionada com a má distribuição das pressões plantares e reflecte tudo o que foi dito acima.  

O uso continuado de suportes plantares (ortóteses ou palmilhas) diminui a formação da calosidade (hiperqueratose) levando ao seu desaparecimento. 

O tratamento quiropodológico das calosidades (remoção das calosidades), deve ser feito como coadjuvante do tratamento ortopodológico (palmilhas).

 

De qualquer modo e dado que não lhe é fácil consultar um podologista, poderá aliviar os seus problemas utilizando calçado menos agressivo para os seus pés, nomeadamente sapatos com saltos de 2 a 3 centímetros e com a frente ampla de forma a que o seu pé se sinta confortável. Desta forma melhorará também a sua postura diminuindo a tendência para o desenvolvimeto de calosidades.

 

 

 


Cumprimentos,
Joana Azevedo.

 

 

 


publicado por Dra. Joana Azevedo às 11:11

link do post | comentar | ver comentários (29) | favorito

Novembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


Ligações

blogs SAPO

subscrever feeds