Bem-vindo(a) à Linha Podológica. Aqui poderá expor as suas questões e obter informações úteis sobre Podologia, a ciência da área da saúde humana responsável pela investigação, prevenção, diagnóstico e tratamento dos problemas de saúde do pé e das suas repercussões no corpo humano.

Espero que este blog lhe seja útil!


Envie a sua questão

Este blog foi feito a pensar na saúde e bem-estar dos seus pés. Espero que lhe seja útil! Compostos por 26 ossos, 33 articulações, 20 músculos e mais de 100 ligamentos, os pés são o alicerce de todo o corpo, e é deles que depende o equilíbrio do aparelho locomotor. A saúde e o bem estar dos nossos pés deve ser mais do que uma simples preocupação estética e requer os cuidados especializados de um Podologista.
pesquisar neste blog
 
Artigos
Temas

2014

adução

alterações biomecânicas

amputações

anteversão femural

app

áreas de intervenção da podologia

associação portuguesa de podologia

barça

barcelona

bebés

bem estar

biomecânica

bolhas

bromohidrose

calçado

calçado adequado

calçado ideal

calçado inadequado

calçado infantil

calçado para criança

calos

calosidades

coma diabético

comichão

como escolher o calçado

competências profissionais

congresso

cuidados com o pé diabético

curiosidades

dermatofitia

dermatomicose

diabetes

diabetes mellitus

diabético

dieta do diabético

doctor of podiatrist medicine

dor nos pés

dor pés

dpm

excesso de transpiração

fasceíte plantar

fotografias

fotos

fotos de pés

fungos

glicose

gretas

helomas

hierhidrose

higiene

higiene do pé diabético

hiperhidrose

hipoglicémia

insuficiência de tecido adiposo

insulina

joanetes

mau cheiro

micose

micose nas unhas

micoses

micoses nas unhas/onicomicoses/fungos

neuroma de morton

onicomicose

onicomicoses

ortóteses

ortóteses plantares

palmilhas

papiloma vírus

papiloma virus

pé boto

pé cavo

pé chato

pé de atleta

pé diabético

pé plano

pele seca

pés

podiatra

podiatras

podiatria

podiatrist

podologia

podologia em portugal

podologista

podologistas

podólogo

podólogos

podologos

prurido

regulamentação da profissão

saltos altos

sapatos

sevilha

unha encravada

unhas

unhas encravadas

verruga

verrugas

todas as tags


Quinta-feira, 19 de Maio de 2016
Podologia, Podologistas - onicomicoses - Novo tratamento laser para fungos nas unhas

As onicomicoses (micoses que afectam as unhas), devem-se à presença de fungos nas unhas que, tal como na pele, originam alterações no local onde se encontram.

 
Nas unhas é frequente observarmos que estas ficam mais grossas, com aspecto envelhecido, com coloração diferente, que pode ser esbranquiçada, amarelada, etc. Pode apresentar-se descolada do leito, ou apresentar depósitos “farinhentos” que frequentemente cheiram mal.
Com o avançar da patologia é frequente a unha encravar. Em estados avançados da doença o crescente engrossamento da lâmina ungueal pode dificultar o uso de sapatos fechados podendo provocar dores e mal estar constantes.
 
O tratamento local desta patologia não é complicado nem doloroso se tratado por um podologista. Na maioria das vezes demora entre 6 e 8 meses. Nos casos mais avançados pode demorar um ano ou mais até à cura completa. Nos estados iniciais de onicomicose pode demorar menos de 6 meses, mas são casos mais raros.
 
Este é o tempo necessário para que a unha cresça na totalidade, já que cresce apenas cerca de 2mm por mês e é fundamental manter o tratamento até à completa substituição/regeneração da unha afectada.
 
O tratamento só é eficaz se juntamente com o tratamento farmacológico forem feitos tratamentos podológicos mensais, bimensais ou trimensais dependendo do grau de afectação das unhas.
 
Os tratamentos de onicomicose consistem no rebaixamento das unhas, procedimentos de limpeza e reeducação ungueal, este último processo é fundamental para garantir o correcto crescimento da unha sem que encrave ou perca o seu trajecto e configuração normais.
O arrancamento das unhas bem como a eliminação da matriz para que a unha não cresça mais (matricectomia total), não são tratamentos de eleição para este tipo de patologia.
 
 Este é um processo que requer técnicas e meios específicos, pelo que o recurso a um podologista é fundamental para que possa receber o tratamento adequado, ser esclarecido e aconselhado sobre o tratamento que deverá seguir em casa de forma continuada até ao fim do tratamento.

O tratamento com antifúngico tópico passa pela aplicação do tratamento, em forma de verniz, creme ou spray, nas unhas afetadas. Normalmente eficaz em infeções iniciais. Em unhas muito afetadas não é eficaz, principalmente se o fungo já atingiu a matriz ungueal- células que produzem a unha. A absorção do tratamento por parte da unha é reduzida.

Atualmente existem tratamentos a Laser, que permitem diminuir substancialmente o tempo de tratamento. São tratamentos inovadores e uma alternativa eficaz, indolor, sem efeitos secundários e rápida para o tratamento da onicomicose.

Tratamento a Laser para fungos nas unhas (onicomicose)

Habitualmente o tratamento a laser é feito em 3 sessões, com intervalos de 15 dias a 1 mês entre elas.
Ensaios clínicos demonstram que após o primeiro procedimento, mais de 70% dos casos apresentam melhorias, aumentando para 90% a taxa de sucesso do tratamento com mais de 2 sessões.

Vantagens do tratamento a laser:
pode ser realizado em grávidas e no período de amamentação
pode ser realizado em pacientes polimedicados
indolor
resultados rápidos
boa adesão à terapêutica, sem abandonos no decurso do tratamento, por ser bastante rápido.

A clínica Parque do Estoril (219236381) já disponibiliza este tratamento aos seus pacientes.

 

Joana Azevedo

Podologista



publicado por Dra. Joana Azevedo às 13:48
link do post | comentar | ver comentários (3) | adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 2 de Maio de 2016
Podologia, Podologistas - Porque é que os pés incham?

 Caminhar, passar muitas horas sentado numa viagem ou de pé podem desencadear edemas associados à circulação sanguínea geralmente de fácil recuperação mas, com o passar dos anos, as causas podem ser uma insuficiência renal ou cardíaca.

Como o Dr. Vicente Palomo, responsável da Área de Patologia Cardiovascular da Sociedade Espanhola de Médicos Gerais e de Família, explicou ao ABC,  a causa mais comum da inchação dos pés é a insuficiência venosa mas estes edemas surgem mais quando existem varizes, imobilização ou quando se usam meias que comprimem esta zona.

Quando os sintomas são pernas pesadas, ardor, prurido, a pele das extremidades inferiores fica mais fina e mais seca do que o normal e apresenta queda de pelo, o que se conhece como dermatite ocre, existe uma insuficiência venosa, a aparência do pele torna-se um claro indicador para o diagnóstico, destaca o especialista.

Isto acontece muito no verão, por causa do calor. Dá-se uma vasodilatação devido à acumulação de água e sódio no espaço entre as estruturas venosas e a pele.

Diabetes, hipertensão, colesterol e a idade predispõe as pessoas aos edemas, bem como a toma de alguns fármacos vasodilatadores, como os usados em caso de hipertensão. Ainda assim, ficar com os pés inchados é algo comum que afeta muitas mulheres saudáveis.

Mas este excesso de líquidos no organismo também se pode dever a problemas renais ou cardíacos. O coração pode não estar a impulsionar bem o sangue, fazendo com que se acumule nas extremidades inferiores, aumentando a pressão venosa. Os rins também podem não estar a conseguir realizar todo o processo de filtragem, levando à acumulação dos líquidos.

O excesso de líquidos no organismo também se pode dever a uma tromboflebite ou surgir durante a gravidez.

Seguir uma dieta com pouco sódio, não usar roupa apertada, praticar exercício físico, ou duches de água fria podem ajudar a prevenir os edemas.

Fonte: 'noticias ao minuto' Vânia Marinho



publicado por Dra. Joana Azevedo às 10:42
link do post | comentar | ver comentários (1) | adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 1 de Abril de 2016
Os benefícios da parte estética no calçado especializado

Aqui fica um artigo bastante interessante com apresentação da autora para a linha podiátrica/podológica do canal sapo saúde. Espero que seja do interesse de todos os podologistas e leitores da linha.

Cumprimentos,

Joana Azevedo

Podologista

 

O meu nome é Catarina e tenho 33 anos. Sou apaixonada por sapatos e desde cedo que senti a necessidade de desenhar os meus. Desta paixão resultou um curso, Design de Calçado e Marroquinaria. Infelizmente em Portugal ainda não existe uma licenciatura de Design de Calçado, então optei por tirar o curso de Design Industrial e posteriormente o mestrado em Design do Produto no IPCA. No mestrado tive a oportunidade de me debruçar sobre a minha área de eleição e em 2010 comecei um projeto que culminou na minha dissertação " A Melhoria do Design de Calçado numa Perspetiva Inclusiva". Desde então este tem sido o meu foco de trabalho, o projeto foi até à penúltima fase do concurso da Acredita Portugal, já esteve inserido no programa Passaporte para o Empreendedorismo e no programa Acelera+.

Em 2006, quando tirei o curso de Design de Calçado apercebi-me que nem todas as pessoas têm oportunidade de escolher os sapatos de que gostam, e que por outro lado, outros têm uma infinidade de escolha mesmo à mão. O porquê disto acontecer é que não me convenceu até hoje, como tal resolvi levar este estudo mais além e em 2010 comecei a desenvolve-lo na minha dissertação. A investigação da dissertação para além de estar sustentada por questionários e entrevistas a um público feminino com patologias ao nível do pé, contou com a colaboração de Podologistas e Ortopedistas.

Autora: Catarina Ravara Mendes

Designer do produto, Especializada em Design de Calçado e Docente no curso de Design de Calçado ministrado pelo IPCA

[1] Dissertação “ Mellhoria do Design de Calçado Numa Perpetiva Inclusiva “.

 

Os benefícios da parte estética no calçado especializado.

De acordo com a Society of Chiropodists & Podiatrists cerca de 80% da população adulta tem algum tipo de patologia no pé.

No entanto, existem pessoas que ainda não detectaram este problema, ou porque ainda não sentem dores, ou porque até já se habituaram a ter dores ao nível do pé e não procuram auxílio médico. Num centro de fisioterapia referiram, que os pacientes não estão informados, pois ainda existe falta de informação acerca do calçado a utilizar, estes também desconhecem a existência de dispositivos clínicos simples que existem para minimizar as dores de patologias como esporão de calcâneo ou de um pé cavo.

Além desta realidade existe ainda outra lacuna no calçado, pois a ergonomia e a estética ainda não se completam ao ponto de satisfazer as necessidades dos utilizadores. O calçado deve ser fisiologicamente adequado de forma a não ser prejudicial à saúde do pé, para isso é necessário que seja leve, flexível, tenha frentes amplas, caixa ampla, seja antiderrapante e respirável.

De acordo com o estudo elaborado na dissertação [1] a parte estética do calçado especializado ainda é apontada como o principal fator do descontentamento das utilizadoras, principalmente do sexo feminino. Algumas mulheres a recusam-se a utilizar este tipo de calçado pela sua estética e outras porque desprezam a sua conotação “ortopédica”. Em consequência desta decisão agravam as suas patologias e se não podem mesmo passar sem eles e os utilizam, sentem-se diminuídas socialmente, uma vez que a sua opção de escolha é denunciadora do problema.

O calçado tem um grande significado e simbolismo associado e desde os tempos remotos, que se verifica que têm uma forte influência na sociedade, história e cultura, estes são indicadores de tribos urbanas, exercem um grande poder, pois transmitem personalidade, ideais, desejos e uma atitude.

Este produto faz parte do estilo, da construção de uma identidade, as pessoas gostam de ter calçado que transmita a sua maneira de ser ou de estar, que transmita os seus gostos. No entanto quem utiliza ou deveria utilizar o calçado especializado ainda não têm completo acesso aos benefícios que a parte estética pode trazer.

A estética sempre teve um papel fundamental na aparência dos produtos, pois a primeira impressão e o simbolismo a eles associado provocam uma emoção, o que o faz querer adquirir um produto mais facilmente. A estética não é uma futilidade, é um fator importante, uma vez que o utilizador procura a sua imagem num produto que tem um forte simbolismo social, por isso tem a função de elo, que aproxima pessoas que partilham os mesmos gostos ou estilos.

Se o produto em causa for um sapato, o grau de importância da estética é ainda maior, pois os sapatos representam a construção de um estilo pessoal, estes intensificam uma identidade que se quer transmitir.

São tantas as imagens e as tendências de sapatos de salto alto e sapatos “elegantes”, com frentes estreitas associadas a imagens sensuais, que inevitavelmente levam as pessoas a querer adquirir este produto, o que prejudica a sua saúde física e a autoestima daquelas que não podem utilizar este tipo de calçado.

É realmente importante que todos tenham o mesmo acesso às tendências de moda, e neste momento quem tem problemas ao nível do pé ainda não o tem. Apesar de já existirem vários esforços, estudos e projetos nesse sentido, ainda há um longo caminho a percorrer. A moda tem um forte valor na sociedade e se os seus padrões forem numa direção saudável e universal poderemos abranger de forma inclusiva todos os cidadãos.

 

 

 



publicado por Dra. Joana Azevedo às 14:24
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 2 de Novembro de 2011
SAÚDE - PREPARE OS SEUS PÉS PARA O INVERNO

(Artigo publicado em Outubro 2011 no Jornal 'Dica da Semana')

 

Cuide da sua Saúde e Bem-Estar

 

O uso regular de calçado fechado, essencial nos meses mais frios, propicia o aparecimento de alguns fungos nos pés, que muitas vezes são desvalorizados pelas pessoas. De facto, de acordo com um estudo realizado em 2007 pela Associação Portuguesa de Podologia, 86 por cento dos portugueses sofria de doenças nos pés, embora apenas 12 por cento dos inquiridos já tivesse ido a uma consulta de podologia, a ciência na área da saúde que estuda o pé. Segundo a podologista Joana Azevedo (http://podologia.sapo.pt/) “antes do inverno e do verão, quando mudamos de calçado aberto para fechado e de fechado para aberto respetivamente é a altura indicada procurar um podologista e fazer em check up podológico”.  Mas na verdade, quer seja durante o inverno, quer seja durante o verão, existe uma série de cuidados básicos a ter em conta, por forma a manter a saúde dos pés, ou não fossem eles a base de sustentação de todo o corpo. “Lavar diariamente os pés com água não muito quente e sabão de pH neutro; secá-los cuidadosamente com uma toalha macia, especialmente entre os dedos; aplicar um creme ou uma loção hidratante para manter a pele suave e hidratada; usar sempre meias limpas e de fibras naturais, tal como o algodão, ou evitar andar descalço particularmente em locais públicos”, são alguns dos conselhos básicos avançados pela podologista Joana Azevedo, que salienta ainda a importância de “efetuar um corte retilíneo das unhas não as deixando demasiado curtas; não tentar remover as calosidades com objetos cortantes, ou de fricção e não usar calicidas ou outros produtos suscetíveis de provocar lesões ou agressões na pele”. A escolha de calçado confortável e adequado ao pé é um dos aspetos mais importantes a ter em consideração para garantir a sua saúde e bem-estar, principalmente durante o inverno (ver caixa de texto), uma vez que muitas das patologias podológicas características desta época do ano surgem precisamente devido a uma má escolha do calçado. Entre as principais patologias que podem surgir nos pés durante o inverno, destaque para os “eritemas pérnios ou frieiras, as unhas encravadas, as micoses (onicomicoses e dermatomicoses, respectivamente) e os calos e calosidades (helomas ou hiperqueratoses) provocados pela pressão dos saltos altos e/ou fricção das frentes apertadas”, diz esta podologista. Importante será referir que “o hábito de pintar constantemente as unhas também pode levar ao aparecimento de patologias ungueais, tais como as onicomicoses, pois cria uma barreira que impede a oxigenação natural e própria das unhas”, refere Joana Azevedo. Além disso, também as peles ou cutículas em volta das unhas não devem ser totalmente removidas, uma vez que funcionam como uma barreira de proteção entre a unha e a pele para determinado tipo de micro-organismos, que só provocam danos no nosso corpo se tiverem acesso a uma espécie de porta de entrada. De salientar, que quer a pessoa faça a sua própria pedicure em casa, quer a faça em estabelecimentos próprios, sempre que detetar uma alteração da pele ou das unhas, bem como o aparecimento de calos e calosidades, deve consultar de imediato um especialista em patologias do pé, como é o caso dos podologistas, para tratar convenientemente a patologia de forma elimina-la, evitando assim que esta se torne crónica.

 

Caixa de texto

 

Calçado para o dia-a-dia

Principais características a ter em conta

 

De acordo com a podologista Joana Azevedo existem alguns critérios básicos a ter em consideração na hora de escolher o calçado ideal para o dia-a-dia. Devemos escolher sempre modelos:

 

 

De salientar, que segundo esta especialista “a altura ideal para comprar sapatos é ao final do dia, quando o pé está mais dilatado”.

 



publicado por Dra. Joana Azevedo às 10:52
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 30 de Janeiro de 2009
Tudo o que sempre quis saber sobre os seus pés!

1. Um adulto dá em média 4000 a 6000 passos por dia, o que equivale a 5 voltas à terra ao longo da sua vida.

 

2. Entre 75 e 80% da população adulta tem algum problema nos pés.

 

3. Todos os anos a população feminina perde 44 milhões de dias de trabalho devido a dores nas costas, causadas pelo uso de saltos altos e sapatos inadequados. Na realidade, as mulheres têm cerca de 4 vezes mais problemas nos pés do que os homens, sendo o uso de saltos altos um dos factores que mais contribui para este problema.

 

4. Sabia que os nossos pés são a zona do corpo com mais glândulas suduríparas por centímetro quadrado? Os pés possuem 250000 glândulas suduríparas que produzem mais de dois decilitros de suor por dia!

 

5. 20% da população considera os pés a zona menos atraente do seu corpo.

 

6. Porque é que as mulheres têm mais problemas nos pés do que os homens?

Um estudo americano chamado 'Se o sapato lhe servir, use-o' concluiu que 9 em cada 10 mulheres usam sapatos demasiados pequenos para o tamanho dos seus pés e que acima dos 60 anos 70% das mulheres terão problemas osteoarticulares nos seus pés.

À medida que envelhece, os seus pés tendem a alargar, mas poucas mulheres gostam de os medir a partir dos 20 anos.

Os problemas nos pés aparecem maioritariamente, aos 40, 50 e 60 anos, no seguimento de décadas de utilização de sapatos mal dimensionados.

 

Se a pressão social sobre os aspecto das mulheres e o tipo de sapatos 'aceitáveis' mudasse, haveria muito menos problemas nos pés!

 

Fonte: feetforlife.org

 

 

 

 



publicado por Dra. Joana Azevedo às 19:36
link do post | comentar | ver comentários (4) | adicionar aos favoritos

Dra. Joana Azevedo
Podologista
Licenciada pela Escola Superior de Saúde do Vale do Ave. Especialização no New York College of Podiatric Medicine (NYCPM). Exerce actividade clínica desde 2003 com cédula profissional nº 128 da Associação Portuguesa de Podologia. Membro fundador do Núcleo de Podologia da ESSVA. Podologista do canal Sapo Saúde desde 2005. Actualmente tem consultórios no Estoril e em Oeiras.

logo new york college of podiatric medicine-1
Consultórios:

Clínica Parque do Estoril - Grupo Cordeiro Saúde
Tel. 219236381
Av. Aida, 153 Lj - 2765-187 Estoril
(em frente ao jardim do casino, a 50m da estação da CP do Estoril)

Clínica Navegantes
Tel. 214412533
Av. Dr. Francisco Sá Carneiro, 14A 2780-240 Oeiras
(junto da biblioteca de Oeiras e dos SMAS - Serviços Municipalizados de Oeiras)

Vídeos
posts recentes

Podologia, Podologistas -...

Podologia, Podologistas -...

Os benefícios da parte es...

SAÚDE - PREPARE OS SEUS P...

Tudo o que sempre quis sa...

O que é a Podologia?

links
arquivos

Março 2018

Dezembro 2017

Agosto 2017

Março 2017

Novembro 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Setembro 2015

Maio 2015

Abril 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Junho 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Junho 2012

Maio 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Maio 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Março 2010

Janeiro 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Abril 2009

Março 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Outubro 2008

Maio 2008

Janeiro 2008

Outubro 2007

Setembro 2007

blogs SAPO
subscrever feeds
Imagem de fundo: David Hofmann.